Siga-nos!

Estudos Bíblicos

A mordomia do corpo

Subsídio para a Escola Bíblica Dominical da Lição 2 do trimestre sobre “Tempo, Bens e Talentos”.

Tiago Rosas

em

Homem orando num bosque. (Photo by Naassom Azevedo on Unsplash)

3. A santificação do corpo

O homem ou mulher descrente ignora a mordomia do corpo no que concerne a necessidade de santificação. No máximo, o descrente se preocupará com a saúde do corpo, o que também é importante, mas menos importante que a santidade do corpo. Homens saudáveis não verão a Deus necessariamente; mas necessariamente homens santos verão a Deus! (Mt 5.8).

Entretanto, como o tema mordomia do corpo abarca não só questões espirituais, mas igualmente físicas (afinal, o corpo é a expressão física do ser humano), julgamos necessário destacar algumas regras para uma vida saudável no corpo, e que, por sua vez, poderá traduzir-se numa vida emocional e espiritual também mais saudável. Munyon, citando Erickson, diz que “O cristão que deseja ter saúde espiritual dedicará atenção a questões como a dieta, o repouso e o exercício” [6]. José Delgado corrobora lembrando-nos que “um corpo saudável traz honra e glória ao Senhor; além disso, temos melhores condições de usá-lo no seu serviço” [7]. Listamos abaixo algumas dicas para uma melhor mordomia do corpo, quanto aos cuidados para sua saúde.

a) Alimentar-se bem – viveríamos melhor e frequentaríamos menos os hospitais se tivéssemos hábitos alimentares mais saudáveis. O que comemos pode não nos contaminar espiritualmente, mas pode adoecer nosso corpo e lançar-nos no ostracismo, inclusive impedindo-nos de confraternizarmo-nos com nossa família e de congregar-nos com nossa igreja.

b) Fazer exercícios físicos – o exercício físico é de pouco proveito no que concerne ao serviço religioso (1Tm 4.8), mas é de muito proveito no que concerne à saúde física. A simples caminhada sempre recomendada pelos médicos pode prolongar-nos o bem-estar e os anos de vida.

c) Repousar o suficiente – Orlando Boyer conta em seu clássico Heróis da Fé que o famoso pregador inglês John Wesley morreu aos 87 anos, tendo vivido a longevidade como consequência de sua disciplina: dormia sempre oito horas por dia, acordava cedo, caminhava pelos quarteirões onde morava, viveu livre de vícios (como todo bom metodista) e cumpriu cabalmente o seu ministério. Sem dúvida, Wesley foi um bom mordomo do corpo!

Quanto à santificação do corpo, ela é obrigatória porque fomos comprados por bom preço, separados do pecado e consagrados ao Deus que nos comprou da escravidão. “Glorificai, pois, a Deus no vosso corpo”, exorta o apóstolo Paulo (1Co 6.19). Sim, em nosso corpo Deus deve ser glorificado: na moderação dos costumes, no controle dos pensamentos, no domínio das emoções e ações, nas expressões de louvor e adoração, etc. Nas palavras do salmista, “tudo o que há em mim, bendiga o seu santo nome” (Sl 103.1). Do mesmo jeito que o pecado perpassa todo o nosso ser (espírito, alma e corpo), a santidade também deve trazer pureza ao nosso homem interior e também ao homem exterior!

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9

Casado, bacharel em teologia (Livre), evangelista da igreja Assembleia de Deus em Campina Grande-PB, administrador da página EBD Inteligente no Facebook e autor de quatro livros: A Mensagem da cruz: o amor que nos redimiu da ira (2016), Biblifique-se: formando uma geração da Palavra (2018), Reflexões contundentes sobre Escola Bíblica Dominical (versão e-book, 2019), e Poder, poder pentecostal: reafirmando nossa doutrina e experiência, à luz das Escrituras Sagradas (lançamento previsto para final de 2019).