Siga-nos!

Estudos Bíblicos

A mordomia do corpo

Subsídio para a Escola Bíblica Dominical da Lição 2 do trimestre sobre “Tempo, Bens e Talentos”.

Tiago Rosas

em

Homem orando num bosque. (Photo by Naassom Azevedo on Unsplash)

II. A dimensão espiritual do corpo

1. O corpo segundo as Escrituras

Novamente citamos a Declaração de Fé das Assembleias de Deus, por considerarmos satisfatória a síntese que faz sobre o conceito de corpo humano por uma perspectiva bíblica. Confira:

O corpo é o invólucro do espírito e da alma. É a parte física, o homem exterior, que se corrompe, ou seja, envelhece e é mortal. O homem é carne como criatura perecível: “porque toda a carne é como erva” (1Pe 1.24). Rejeitamos a ideia de ser o corpo a prisão da alma e do espírito ou de ser inerentemente mau e insignificante, pois ele é templo do Espírito Santo e templo de Deus, uma vez que o Espírito Santo habita em nós. O corpo é importante, pois Deus o ressuscitará: “Assim também a ressurreição dos mortos. Semeia-se o corpo em corrupção, ressuscitará em incorrupção” (1Co 15.42) [4]

Quanto a ressalva que o texto acima faz da ideia equivocada de que o corpo é inerentemente mau, Timothy Munyon acrescenta: “Quando os escritores do Novo Testamento mencionam ‘carne’ num sentido negativo (Rm 7.18; 8.4; 2Co 10.2,3; 2Pe 2.10), falam da natureza pecaminosa, e não especificamente do corpo físico” [5]. Portanto, embora o pecado também tenha atingido o corpo, isso não significa que o corpo seja mau em si mesmo. Deus é o Criador e Senhor do corpo!

Algumas formas pelas quais a Bíblia se refere ao corpo (especialmente o corpo do crente):

a) Corpo do pecado (Rm 6.6) – para se referir ao corpo sob a escravidão do pecado.

b) Casa terrestre (2Co 5.1) – para se referir ao corpo com que interagimos com o mundo em nossa volta, que veio do pó da terra e à terra voltará (Gn 3.19), até que seja ressuscitado em glória (1Co 15.43).

c) Templo do Espírito Santo (1Co 6.19,20) – para se referir a sacralidade do corpo do cristão (o descrente não é, nem pode ser neste estado de incredulidade templo do Espírito). Sem dúvidas, esta é a mais vibrante declaração quanto ao corpo do cristão, um verdadeiro santuário, um lugar sagrado onde Deus habita!

d) Homem exterior (2Co 4.16) – para referir-se ao corpo como a manifestação do ser, a expressão visível do homem, já que somente Deus vê o homem interior (1Sm 16.7).

e) Tabernáculo (2Pe 1.14) – para referir-se ao corpo humano como casa provisória tanto da nossa alma e espírito como também do próprio Espírito Santo, assim como o tabernáculo do Antigo Testamento fora provisório, vindo a ser substituído pelo Templo. Na eternidade não deixaremos de ter um corpo físico, mas será um corpo superior a este frágil que agora temos.

f) Vaso (1Ts 4.4; algumas versões dizem “próprio corpo”, outras, com menos razão, dizem “própria esposa” ou “próprio cônjuge”. Mas “seu vaso” ou “próprio vaso” parece ser uma tradução melhor) – para referir-se à fragilidade do corpo e à razão pela qual ele não deve ser usado indevidamente para que não padeça. Diz o ditado que “cabeça que não pensa, o corpo padece”. Cuidemos de nosso corpo, pois em seu interior há um tesouro de inestimável valor! (2Co 4.7)

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9

Casado, bacharel em teologia (Livre), evangelista da igreja Assembleia de Deus em Campina Grande-PB, administrador da página EBD Inteligente no Facebook e autor de quatro livros: A Mensagem da cruz: o amor que nos redimiu da ira (2016), Biblifique-se: formando uma geração da Palavra (2018), Reflexões contundentes sobre Escola Bíblica Dominical (versão e-book, 2019), e Poder, poder pentecostal: reafirmando nossa doutrina e experiência, à luz das Escrituras Sagradas (lançamento previsto para final de 2019).