Siga-nos!

Estudos Bíblicos

A mordomia do corpo

Subsídio para a Escola Bíblica Dominical da Lição 2 do trimestre sobre “Tempo, Bens e Talentos”.

Tiago Rosas

em

Homem orando num bosque. (Photo by Naassom Azevedo on Unsplash)

A mordomia que nos propomos estudar durante este trimestre não tem a ver apenas com administração de bens terrenos, mas também com os cuidados que devemos ter com a nossa própria vida. Nas palavras de Paulo a Timóteo: “tem cuidado de ti mesmo…” (1Tm 4.16).

Nas Lições 2 e 3 estudaremos sobre o zelo com nosso próprio ser, levando em conta a tripartição humana: espírito, alma e corpo. Começando pelo corpo, vejamos o que a Bíblia diz sobre como fomos formados e qual a vontade de Deus em relação a este aspecto da mordomia cristã.

I. A dimensão material do corpo

1. A formação maravilhosa do corpo

Visto que somos criacionistas bíblicos e defendemos o método de interpretação histórico-gramatical das Escrituras, cremos na literalidade da narrativa da criação do homem conforme registram os primeiros capítulos de Gênesis. Assim, ratificamos aqui a Declaração de Fé das Assembleias de Deus no Brasil:

Cremos, professamos e ensinamos que o homem é uma criação de Deus: “E formou o SENHOR Deus o homem do pó da terra e soprou em seus narizes o fôlego de vida; e o homem foi feito alma vivente” (Gn 2.7). (…) O ser humano foi criado macho e fêmea: “E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou” (Gn 1.27). Trata-se de um ser inteligente e que foi capaz de dar nome aos animais; feito à semelhança de Deus: “os homens, feitos à semelhança de Deus” (Tg 3.9); um pouco menor que os anjos; coroado de honra e de glória e dotado por Deus de livre-arbítrio, ou seja, com liberdade de escolher entre o bem e o mal. [1]

O próprio Senhor Jesus, a quem tomamos por maior intérprete da Palavra de Deus, visto que ele é a Palavra de Deus encarnada (Ap 19.13), o Verbo vivo (Jo 1.1), mencionou a criação do ser humano como um evento literal: “Vocês não leram que, no princípio, o Criador ‘os fez homem e mulher’” (Mt 19.4). Ali, no Éden, o próprio Deus, tomando o pó da terra, modelou cada órgão do corpo humano e deu-lhe a forma final, como lhe aprouve. Ali de fato o corpo fora criado!

Elinaldo Renovato, porém, chama-nos a atenção para um equívoco corriqueiro na descrição que fazemos da criação do primeiro homem:

Deus formou a parte física do homem, o seu corpo, “do pó da terra”. Não com o barro, em seu estado bruto ou “um boneco de barro”, como ensinam alguns obreiros de modo infantil. Deus manipulou os elementos químicos que se encontram no barro ou na argila, formando, de modo sobrenatural, cada parte do corpo humano, combinando-os de maneira jamais compreendida pela mente humana (…) A forma como o Senhor combinou os aminoácidos, as proteínas, os sais minerais e as demais substâncias para compor o corpo humano é algo que transcende a qualquer especulação científica. [2]

Não menos maravilhosa que a criação do primeiro homem é a geração da vida e a formação do corpo a partir do ventre materno, com a relação entre um homem e uma mulher. Todos nós fomos gerados e modo maravilhoso! Uma ínfima compreensão de todos os processos biológicos envolvidos na formação de um novo corpo humano é suficiente para produzir em nós admiração e dar-nos motivo para exaltarmos o Criador. Há uma engenharia sofisticadíssima por trás de tudo isso, e a ciência humana jamais poderá reproduzi-la!

Davi viu-se assombrado diante desta reflexão e então exclamou: “Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Tuas obras são maravilhosas! Disso tenho plena certeza” (Sl 139.14, NVI). Quando cada osso de nosso corpo era formado e cada órgão era entretecido na escuridão do útero materno, lá estava sobre nós o olhar do grande Projetista (vv. 15,16). E não podia ser diferente, já que Ele formava nosso corpo não apenas para ser o invólucro da alma e do espírito (entidades imateriais do homem), mas igualmente nos fizera para ser seu santuário, dentro do qual Ele almejara habitar!

Que graça de Deus! Mas que privilégio e responsabilidades é para nós, mordomos do corpo!

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9

Casado, bacharel em teologia (Livre), evangelista da igreja Assembleia de Deus em Campina Grande-PB, administrador da página EBD Inteligente no Facebook e autor de quatro livros: A Mensagem da cruz: o amor que nos redimiu da ira (2016), Biblifique-se: formando uma geração da Palavra (2018), Reflexões contundentes sobre Escola Bíblica Dominical (versão e-book, 2019), e Poder, poder pentecostal: reafirmando nossa doutrina e experiência, à luz das Escrituras Sagradas (lançamento previsto para final de 2019).