Siga-nos!

Opinião

A importância de influenciarmos as próximas gerações

O valor da experiência e do bom exemplo dos mais velhos.

Abner Ferreira

em

A importância do exemplo dos mais velhos.
Idosos felizes pedalando (Foto: Mabel Amber)

De autoria anônima, existe na Bíblia um salmo que enaltece o desejo que devemos ter de servir a Deus mesmo quando a idade já for avançada.

O texto está em Salmos 71.18, que diz: “Não me abandones mesmo até a velhice e cabelos brancos, ó Deus, até que eu possa informar a geração sobre o teu braço, todos os que estão para vir, sobre a tua potência”.

A interpretação do texto é fácil, pois revela que uma pessoa nunca é velha demais para fazer a diferença no Reino de Deus, principalmente sobre as futuras gerações.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Barna, nos EUA, revelou que quanto mais velhos, maior a disponibilidade da pessoa em se identificar como cristã e praticar o cristianismo.

Intitulada “FaithViews“, a pesquisa mostra como as gerações lidam com a questão da fé, algo de extrema importância para os nossos dias, em que tudo tem sido relativizado.

Não é fácil envelhecer. Lidar com a ideia de que nosso corpo ficará frágil e que perderemos muitas habilidades físicas é algo estarrecedor. Mas é inegável que podemos usufruir de muita experiência.

Salomão chamou a velhice de “dias calamitosos”, nos quais “não se teria agrado“ (Eclesiastes 12.1-3). Mas reconheceu que a “lonjura de dias e anos de vida” podem ser associados com as bênçãos de Deus (Provérbios 3.1, 2).

Agora, quanto ao papel do idoso de demonstrar sua fé e informar as gerações sobre o braço forte de Deus e as futuras gerações sobre o poder do Senhor, esse é um desafio incontestável.

É de vital importância aprender a influenciar as gerações através de nosso exemplo, palavra, atitude, aconselhamento e testemunho de fé. Precisamos mostrar aos jovens como é bom servir ao Senhor.

Conforme está escrito em Eclesiastes 12.1: “Lembre-se, então, do seu Grandioso Criador nos dias da sua juventude, antes que venham os dias de aflição e cheguem os anos em que você dirá: ‘Não tenho prazer neles’”.

A juventude pode nos proporcionar saúde e preparo físico, aspectos que muitas vezes geram vaidade e arrogância. No entanto, os mais velhos trazem uma bagagem de experiências.

Os idosos que temem ao Senhor, que vivem uma vida exemplar, eles não podem ser desprezados ou deixarem de transmitir lições importantes para as gerações.

Em uma frase célebre sobre o amor, Martinho Lutero disse: “Os que amam profundamente, jamais envelhecem; podem morrer de velhice, mas morrem jovens”.

Tenho certeza que em nosso esforço para servirmos de bons exemplos para as gerações, conduzindo-os mediante a Palavra de Deus, estamos também demonstrando nosso amor.

Que o Senhor nos ajude e que os mais velhos não se intimidem em revelar as verdades que conduzirão as gerações para uma vida plena e uma fé inabalável.

Cristão, advogado, esposo, escritor, discípulo e Presidente da Assembleia de Deus em Madureira.

Publicidade