Siga-nos!

Política

“A corrupção é espiritual”, alerta Ezequiel Teixeira

Pastor diz que a Igreja não pode fugir de sua responsabilidade e enfrentar a “batalha”

Publicado

em

Ezequiel Teixeira
Publicidade

Desde que a Lava Jato passou a ser parte da rotina dos brasileiros, o tema combate à corrupção vem sendo apontado como uma das prioridades por muitos candidatos. Porém, Ezequiel Teixeira, apóstolo do ministério Projeto Vida Nova lembra que a Igreja também precisa assumir essa responsabilidade.

“Na Bíblia, temos casos de profetas que contestavam os reis que haviam corrompido sua própria nação”, destaca. Citando Êxodo 23:8, sentencia: “o suborno cega até os que têm discernimento e prejudica a causa do justo”.

Para Teixeira, esse período que antecede as eleições deveria ser de reflexão para os cidadãos de bem, sobretudo os cristãos. “Não importa sua religião, trata-se do futuro da nação. Escolhas erradas agora terão um grande custo nos próximos anos”, alerta.

Com experiência na política, ele pede que de maneira especial, a Igreja não tente “fugir de sua responsabilidade”. “Estamos enfrentando uma batalha no plano espiritual. O povo brasileiro está cansado de tantos desmandos. Precisamos nos posicionar, pois a corrupção é algo espiritual, é uma ação do maligno!”, avalia.

Ciente de que existe uma grande desconfiança dos eleitores em relação aos candidatos, Teixeira pede que as pessoas orem, mas também deem passos práticos. “Antes de votar é bom ver o histórico, as propostas de cada candidato. Lamentavelmente há muitos concorrendo à reeleição que estão denunciados e são investigados”, lamenta.

Declarando-se um otimista e, como homem de fé, conta que quando decidiu se lançar como deputado federal, estava ciente de que existem muitos ataques contra a família e os valores cristãos.

Publicidade

“Eu acho estranho que os cristãos muitas vezes fujam de debater questões políticas. Os esquerdistas, os militantes, eles defendem com unhas e dentes suas ideias e, pior, tentam impor isso sobre a sociedade que é conservadora. Precisamos de mais representantes sérios e comprometidos com a verdade. Está na hora de deixarmos de vez nosso país de cabeça pra cima”, encerra.

Publicidade