Siga-nos!

Internacional

60.000 cristãos em campos de concentração na Coréia do Norte

Portas Abertas denuncia ditadura comunista como o “pior país do mundo” para ser cristão

em

Guarda na Coreia do Norte. (Foto: REUTERS / Jason Lee)

A missão Portas Abertas divulgou recentemente seu ranking de perseguição, que denuncia os países que mais viola, os direitos dos cristãos no mundo. No topo da lista permanece a Coreia do Norte, ditadura comunista de Kim Jong-un.

Apesar de publicamente o governo norte-coreano negar as violações a toda forma de religião e tentar uma aproximação com o Ocidente, imagens de satélite já comprovaram a existência de campos de concentração para onde são enviados pessoas consideradas “inimigas” do Estado.

Fugitivos desses locais repetidamente relatam que nesses locais  a maioria dos ocupantes são cristãos. Alguns foram enviados para lá simplesmente por portarem uma Bíblia.

David Curry, presidente da Portas Abertas nos EUA, destaca que “existem 245 milhões de cristãos que vivem em áreas de extrema ou alta perseguição”. Ele lembra que o regime norte-coreano continua em primeiro lugar pelo 18º ano consecutivo.

“Neste momento, existem mais de 60.000 cristãos em campos de trabalho na Coréia do Norte. Muitas pessoas não sabem disso”, ressalta.  Mas não é só a missão cristã que faz esse tipo de denúncia. O relatório da Comissão de Inquérito das Nações Unidas para o ano de 2014 concluiu que de 80 a 120 mil pessoas estão aprisionadas em tais campos.

O relatório da Subcomissão de Direitos Humanos na Coreia do Norte (HRNK) baseou-se nas imagens de satélite para revelar uma rede extensa de campos de concentração para os “prisioneiros políticos”.

Nessas instalações “trabalho forçado, desnutrição, cuidados médico-farmacêuticos insuficientes e condições de higiene precárias provocam mortes de milhares de prisioneiros anualmente” se localiza em todo o país, de acordo com o relatório de David Hawk, especialista em Coreia do Norte.

Imagens de satélite mostra as instalações no campo de prisioneiros 16, Hwasong.

Nos últimos 27 anos, a Portas Abertas documentou os países mais opressivos em relação ao cristianismo. O relatório de 2019 apontou os maiores violadores da liberdade religiosa:

1. Coréia do Norte
2. Afeganistão
3. Somália
4. Líbia
5. Paquistão
6. Sudão
7. Eritreia
8. Iêmen
9. Irã
10. Índia

 

Publicidade