Siga-nos!

Mundo Cristão

35 milhões de jovens deixarão o cristianismo até 2050, prevê relatório

Documento de 131 páginas mostra caminhos para que a Igreja resista a este fenômeno

em

Jovens da geração Z. (Foto: Wyron A / Unsplash)

O relatório realizado pela Pinetops Foundation e o Veritas Fórum traz uma projeção de que até 2050 35 milhões de jovens deixarão o cristianismo.

Eles, que hoje são criados por suas famílias cristã, abandonarão a religião de seus pais.

Para chegar nesta conclusão, foram analisados diferentes relatórios e pesquisas que examinam atitudes milenares em relação à religião e baseia-se mais em quatro grandes esforços de pesquisa e o resultado foi publicado em um documento de 131 páginas intitulado “The Great Opportunity”.

O relatório baseia-se na análise de pesquisas como o Estudo da Paisagem Religiosa do Pew Research Center (2007-2014), o Baylor Religion Survey (2007 a 2011), uma pesquisa de setembro de 2016 do Public Religion Research Institute e os Gallup Annual Religion Surveys (1992-2016) .

“Com base nessas fontes de dados primárias, criamos cenários de comutação religiosa para os próximos 30 anos, usando os dados de comutação e atitude mais atualizados, harmonizando suposições entre as fontes de dados primárias”, explica o relatório.

“Nossas projeções são baseadas em técnicas de modelagem semelhantes ao que se pode usar em um contexto profissional para previsões de mercado. Eles certamente divergirão da realidade ao longo do tempo, e convocamos nossas suposições sempre que pudermos”, completa.

Os dados dessa estimativa são apenas para os EUA, onde hoje o cristianismo representa 73% da população. Pela projeção do relatório, até 2050 a redução do número de cristãos levará o país a atingir a taxa de 59%. Enquanto isso, a população de pessoas não religiosas deverá crescer 30%.

“É a maior e mais rápida mudança numérica da afiliação religiosa na história deste país”, enfatiza o relatório. “Mesmo nos cenários mais otimistas, a afiliação cristã nos EUA diminui drasticamente e, no nosso caso-base, mais de 1 milhão de jovens, pelo menos nominalmente na igreja hoje, escolherão sair todos os anos pelas próximas três décadas”, reafirma o documento.

É possível evitar que isso aconteça

De acordo com os autores do relatório a tendência maciça de desfiliação nos próximos 30 anos representará a maior oportunidade missionária da história dos EUA.

Para tanto, será preciso duplicar ou triplicar os esforços de plantação de igrejas nos Estados Unidos. A taxa atual de plantação de igrejas não será suficiente para “abordar o crescimento da população e antecipar o fechamento de igrejas de congregações mais antigas”.

Pelo menos 215.000 igrejas precisarão ser plantadas até 2050 apenas para manter o status quo.

O relatório também pede que as igrejas “transformem o discipulado da juventude”, argumentando que os modelos de ministério da juventude dos últimos 50 anos não são mais eficazes.

Ao ter acesso a este relatório, o pastor Greg Stier, líder do ministério de jovens Dare 2 Shareacredita que as igrejas precisam reimaginar a maneira como ministram jovens.

“Se você voltar à taxa de retenção da Geração X de 20 anos atrás, isso desaceleraria [a desilusão] para 20 milhões de jovens”, disse Stier ao The Christian Post. “Isso é mais do que o Primeiro e o Segundo Grande Despertar, todo o Revival da Rua Azuza e todos os convertidos por Billy Graham juntos”, disse o pastor ao The Christian Post.

O pastor disse que ficou emocionado com o relatório e que o documento apresenta uma grande oportunidade para a Igreja.

“O ministério da juventude precisa ser reprojetado para promover o evangelho e multiplicar discípulos”, enfatizou. “Não é sobre reuniões, mas sobre a missão. Os jovens anseiam por uma causa que importa. Então eles precisam estar equipados e os líderes juvenis precisam estar equipados para equipá-los”.

Publicidade